top of page

A luz brilha até...

A luz brilha através. E eu vejo que sim. Mas até quando?

Muito antes dos humanos havia vida. Talvez muito depois dos humanos, continue a existir vida.

Surpreende~me a velocidade com que os humanos se apoderam de outras vidas e destroem o potencial para a vida. Existem aquelas pessoas milagrosas que não veem outro propósito senão dar à Terra o que é inerentemente dela, como forma de mostrar a sua gratidão pelas suas infinitas oferendas, e por isso dedicam as suas vidas para curar o planeta. Eles existem, infelizmente, em números muito pequenos.

No entanto, o número dos seres descuidados aumenta dramaticamente. Não permitindo que números e intenções cheguem perto de um equilíbrio. Nem num milhão de anos humanos, temo.

Estou a testemunhar a tecnologia a roubar o nosso tacto. Materiais e alimentos sintéticos a roubar a nossa conexão com a Terra. O trabalho manual substituído por máquinas e robôs. A fome no mundo a escalar para quantidades incompreensíveis, espécies a desaparecer, temperaturas a subir. Secas……

Talvez a luz brilhe, mas não para todos nós. Se para qualquer um.

Temo que, como indivíduos, estejamos a falhar com ganância e falta de objetivo. Como colectivo, estamos a falhar novamente a nós mesmos, à Terra e aos nossos companheiros terráqueos.

Foi~nos providenciado um cérebro e razão e, em algum momento, saímos dos trilhos de um caminho sensato. Talvez seja a razão de experienciar a humanidade. Uma espécie descarrilada que nunca encontra o caminho de casa.

Estamos aqui para proteger a Terra. Para ser guardiões desta terra sagrada. E, no entanto, venho a duvidar, com decepção, da natureza dos humanos.

~~Ana~~



The light shines through until...


The light shines through. And I see it does. But until when?

Long before humans there was life. Perhaps long after humans, there will continue to be life.

It just astonishes me the rate at which humans seize life and destroy the potential for life. There are those miraculous people who see no other purpose but to give the Earth what is inherently hers, as a way of showing her gratitude for her endless offerings, so they devote their life to heal the planet. They exist, sadly, in very small numbers.

The numbers of those careless beings increase dramatically however. Not allowing numbers and intentions to come close to a balance. Not in a million human years, I fear.

I am witnessing technology robbing us of our touch. Synthetic materials and foods robbing us of our connection to the Earth. Hand work replaced by machinery and robots. The famine in the world scaling to incomprehensible amounts, species vanishing, temperatures rising. Droughts.

Perhaps the light will shine but not for all of us. If for any at all.

I fear as individuals we are failing ourselves with greed and aimlessness. As a collective we are failing ourselves again, the Earth and our fellow earthlings.

We have been provided with a brain and reason and at some point, we derailed from a sensible path. Perhaps there is the whole point of experiencing humanity. A derailed species never finding the way home.

We are here to protect the Earth. To be guardians of this sacred land. And yet, I come to doubt, with disappointment, the nature of humans.

~~ Ana ~~

Comments


bottom of page